Lagaretas e a sua história – Caminhos Cruzados - A paixão do novo Dão

Lagaretas e a sua história

Sabia que a Caminhos Cruzados está a 10 minutos de uma Lagareta repleta de história? Para quem é fã de caminhadas e passeios pela Natureza, este é um dos locais que recomendamos a visitar.

Provavelmente estão a interrogar-se sobre o que são as Lagaretas. Onde surgiram? Para que servem? Iremos tentar responder a estas questões.

Onde e como surgiram?

A produção de vinho acompanhou, em parte, a evolução cultural e social humana. Foram vários os povos mediterrânicos, desde os Fenícios, Egípcios, Gregos, Romanos, as nações da idade média, até às nações da atualidade, que se desenvolveram com esta bebida criada através da fermentação do sumo da uva.

As lagaretas, sendo uma ferramenta muito importante na vinificação durante a vindima, encontram-se dispersas em toda a zona do Mediterrâneo. Em Portugal encontram-se em áreas graníticas, mais no Centro e Norte do país (Beiras e Douro).

O Dão, a Região do afloramento granítico, concentra um número de lagaretas bastante significativo comparativamente a outras regiões vitivinícolas. Só para partilhar terem uma ideia, no concelho de Nelas, onde se encontra a Caminhos Cruzados, existe cerca de uma dezena de lagaretas. Uma das quais é a Lagareta medieval do Barroco, localizada na encantadora e fidalga vila de Santar.

Em relação à sua datação, esta é considerada incerta, pois há investigadores que apontam as origens para o período romano ou tardo romano outros referem o período Alto-Medieval ou Medieval.

Para que servem?

Estes reservatórios serviam para a pisa das uvas, a recolha do mosto. Existem alguns exemplares, que para além de se destinarem à produção vinícola, também poderão ter sido usados para produzir azeite.

O que são?

 As lagaretas são de ligeira inclinação e cravadas à mão numa rocha mais elevada, de forma retangular, quadrada ou redonda.

Estas construções são constituídas por um piso onde se esmagavam as uvas, um canal de escoamento e o pio para onde caía o líquido. Quando não existe o pio, conclui-se que o mosto seria recolhido em vasilhas de madeira ou de cerâmica. Em algumas lagaretas mais complexas existia ainda uma terceira área adjacente chamada de Prato.

- O Piso ou Calcatorium é uma pia, pouco profunda e escavada em plano inclinado, que se destinava à pisa da uva pelo processo tradicional de esmagamento pelo pé do homem.

- O Prato, adjacente ao Piso, apresenta forma circular e plana, comunicava com o pio por canais de escoamento. O prato servia de base a um sistema de prensagem mecânico e destinava-se ao esmagamento do bagaço, ainda rico em sumo e taninos, difícil de extrair de outra forma.

- O Pio ou Lacus, mais pequeno e profundo, é um elemento separado do anterior por um orifício, que deixava escorrer o mosto para dentro dele. No final, o mosto era transportado para depósitos maiores, mais perto de casa, onde ocorria a fermentação.

Qual a diferença entre Lagares e Lagaretas?

Normalmente designam-se por lagares os reservatórios quadrados ou retangulares de maior dimensão e maior profundidade, ainda usados atualmente, mas encontram-se em espaços fechados e são construídos, não escavados. Enquanto as lagaretas são mais pequenas e pouco profundas.

 

Texto por
Luís Filipe

Leave a comment

Please note, comments must be approved before they are published